Good Bye, Lenin! – Um segundo olhar

Cartaz do filme. (c) X-Filme Creative Pool

Cartaz do filme. (c) X-Filme Creative Pool

A primeira vez que ouvi falar de Good Bye Lenin!, do diretor Wolfgang Becker, foi em 2003. O longa-metragem estava fresquinho e sendo lançado em vários festivais. Um deles, foi o Festival Internacional do Novo Cinema Latino Americano, realizado em Havana, Cuba.

Estava vivendo na ilha já fazia um ano. Lembro de ter passado por um cinema no bairro de Vedado e de ter visto uma fila de metros e metros, dando volta no quarteirão.

Pensei com os meus botões: “esse é o país da fila, principalmente durante o festival, mas que filme será esse que todos estão ávidos em ver?”.

Bom, o resto da estória vocês devem imaginar, já que exibir um filme com esse título num país socialista, é mesmo pra causar burburinho, atiçar curiosos e intrigar.

Por causa da tal fila, não consegui ver Adeus Lenin! nessa oportunidade. Fui assiti-lo anos mais tarde, já de volta ao Brasil. Lembro que minha primeira reação foi o riso. Também pudera: o longa-metragem é baseado em um roteiro sarcástico desenvolvido numa sequência de acontecimentos insólitos.

Cena de Good Bye, Lenin! (c) X-Filme Creative Pool

Cena de Good Bye, Lenin! (c) X-Filme Creative Pool

Ontem, aniversário de 19 anos da Reunificação Alemã, revi o filme na TV aqui na Alemanha. E qual não foi a minha surpresa ao me deixar envolver novamente pela estória do rapaz que faz malabarismos para manter vivo, um país já morto. Tudo por amor à mãe.

De novo, achei graça com as piadas e as referências à Kubrick. Em um primeiro momento, o longa trata um tema espinhoso de maneira lúdica. Com humor, a sua narrativa dá um outro desfecho à História da RDA.

Ao invés de ser absolutamente destruída, a República do filme abre as portas ao Oeste e se mantém viva nas compotas, nas canções dos pioneiros mirins e nos noticiários recriados pelo personagem de Daniel Brühl.

No entanto, em um outro nível da narrativa, o longa deixa a mensagem que dessa vez me tocou mais forte: aquele país tão adorado pela mãe, pode ter existido tão somente na sua imaginação. E nas recriações de seu filho.

Daí me pergunto: o que seria de nós sem as utopias? Que atire a primeira pedra quem já não acreditou nelas.

Abaixo o trailer de Good Bye Lenin! em alemão, com legendas em inglês.

Anúncios

6 responses to “Good Bye, Lenin! – Um segundo olhar

  1. Que atire a primeira pedra quem não acredita na utopia.

  2. o filme eh muito divertido mesmo 🙂 hoje os produtos da antiga DDR sao artigos cult. O “utopico” é para mim como um ideal, algo que vc almeja e trabalha todo santo dia pra alcancar 🙂 mas continua longe, eben utopico 😀

  3. Adoro!

  4. Clotilde Tavares

    E onde eu vivi esse tempo todo que nunca vi esse filme? Ariane, bela, só vc pra me oferecer uma novidade dessa. Vou correndo para ThePirateBay! Ou para a locadora!

  5. Adorei esse filme, o roteiro é maravilhoso. Além da originalidade ao tratar desse episódio histórico exploradíssimo (seu comentário sobre a utopia acertou na mosca!), consegue tratar ao mesmo tempo, de maneira sutil, carinhosa e sem ser piegas nem superficial, do amor do filho pela mãe.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s